Ejaculação precoce – tratamento

tratamento da ejaculação precoce visa controlar ou retardar a ejaculação, ou seja, através de soluções terapêuticas que permitam prolongar e tornar o ato sexual mais satisfatório (demorar mais tempo até que seja atingida a ejaculação).

Antes do recurso aos medicamentos ou à psicoterapia devem ser tentadas algumas técnicas que permitem evitar a ejaculação precoce:

  • Exercícios de “start and stop” – fazer pausas ou suspender temporariamente (segundos a minutos) a atividade sexual nos momentos de maior excitação;
  • Masturbação prévia – pode ter um bom resultado, fundamentalmente, em doentes jovens, com boa função erétil e período refratário curto (espaço de tempo pequeno em obter uma ereção após a ejaculação);
  • Exercer pressão sobre a glande nos momentos prévios à ejaculação – despoleta reflexo fisiológico que inibe a sensação de prazer e diminui a probabilidade de ejaculação;
  • Exercícios de distração mental – incentivar a pensamentos não eróticos nos momentos prévios à sensação de ejaculação iminente – exemplos: elaborar lista de compras, planear o dia seguinte, etc.
  • A sensibilidade ao pênis pode também ser reduzida com o uso de um preservativo ou creme de anestesia tópica (lidocaína-prilocaína). Na utilização da pomada ou gel macho man aplicado no pênis é necessário deixar absorver antes da relação sexual ou utilizar um preservativo para impedir a passagem de anestésico para a parceira.

No tratamento da ejaculação prematura podem ser usados alguns medicamentos (ou remédios) orais (em comprimidos), a saber:

  • A Dapoxetina é o fármaco mais comummente utilizado na ejaculação prematura, com indicação de ser utilizado “on demand” (quando necessário) antes da relação sexual.
  • Outros fármacos como a Paroxetina também podem ser utilizados com este objetivo, diariamente ou SOS, embora necessitem de maior vigilância médica.
  • Inibidores da 5 fosfodiesterase, como o citrato de sildenafila ou simplesmente sildenafil, são úteis nos doentes que apresentem associadamente disfunção erétil.

O recurso à psicoterapia ou terapia comportamental

Todos os doentes devem receber educação psicossexual: explicar a patologia, a sua frequência, dissipar mitos, tranquilizar e derrubar barreiras da intimidade.

Em casos específicos, é necessário terapêutica psicossexual específica dirigida a fobias, transtornos sexuais, alterações da relação interpessoal, a transtornos de ansiedade, depressão, etc..

O melhor tratamento ou remédio caseiro é mesmo prevenir e modificar o estilo de vida para melhorar a função vascular de cada um (por exemplo, não fumar, ter cuidados com a alimentação, manter o peso corporal ideal, fazer exercício físico de uma forma regular, combater o stress, etc.).

Nunca é de mais referir que as diferentes técnicas terapêuticas podem ajudar a resolver mais de 80 a 90% dos casos de ejaculação precoce.

Complicações da ejaculação precoce

As complicações mais graves da ejaculação prematura estão relacionadas com o estado de stress, frustração e de ansiedade pre-coital que surgem no homem.

Em casos graves pode inclusive cursar com disfunção eréctil, evicção da atividade sexual e estados de depressão.